Grupo de Pesquisa Virtuhab

O Grupo de Pesquisa Virtuhab dedica-se à pesquisa no tema da sustentabilidade aplicada à projetos.

Compreende uma série de atividades de pesquisa, com apoio de atividades de ensino e extensão, vinculadas à graduação e pós-graduação, para desenvolvimento de tecnologias aplicadas, métodos e avaliação da sustentabilidade em produtos, serviços ou negócios empresariais.

A sustentabilidade possui três dimensões a serem consideradas: Econômica, Social e Ambiental, conforme as definições de Elkington (1998). Assim, Deve-se buscar a satisfação dos interesses de todos os intervenientes dos processos quer sejam os investidores, a comunidade local ou os colaboradores. Todos devem ter seu retorno em qualidade de vida e equidade social, e tudo isso, não deve prejudicar (ou pelo menos os impactos devem ser minimizados) o meio ambiente, do qual todos necessitam para sobreviver. (ELKINGTON, 1998; PAULI, 1996; DONAIRE,1995).

Para a gestão da sustentabilidade interessam as atividades que envolvem o planejamento, organização, controle e melhoria dos sistemas existentes e que atinjam o meio edificado, seja no projeto ou na execução de edificações. A gestão da sustentabilidade relaciona-se ainda com a mitigação dos impactos decorridos de sua ausência, como as ações voltadas a gestão de riscos e desastres naturais.

Em princípio, os desdobramentos das atividades do grupo contemplam as seguintes pesquisas:

– Adaptação e Aplicação do Modelo ESA (Librelotto, 2005) para avaliação da sustentabilidade na região de Florianópolis;

– Levantamento e desenvolvimento de tecnologias, sistemas construtivos e tipologias para habitações de interesse social (em reassentamentos no contexto emergencial e para as construções definitivas);

– Avaliação da sustentabilidade pela análise do ciclo de vida (ACV) de materiais para criação de banco de dados;

– Avaliação da sustentabilidade em edificações e sistemas construtivos;

– Leitura crítica do projeto e construção de edifícios para maior durabilidade (flexibilidade, funcionalidade, reciclagem, reuso);

– Processo de projeto e a sua interface tecnológica (ensino, tecnologias da informação);

– Melhoria de processos produtivos através da aplicação da filosofia lean;

– Uso e emprego de materiais alternativos e/ou inovadores (terra, bambu, madeiras);

– Análise da cadeia produtiva de sistemas construtivos inovadores;

– Análise dos sistemas de certificações aplicáveis em edificações;

– Construção do Portal Virtuhab;

– Edição da Revista Mix Sustentável;

– Disseminação do conhecimento através do evento ENSUS – Encontro de Sustentabilidade em Projeto;

Ainda, tal projeto pode ser traduzido em atividades de ensino, pesquisa e extensão, envolvendo alunos da graduação e pós-graduação. Estas atividades em andamento, relacionadas ao projeto chapéu contam com financiamentos externos: FAPESC, CONFEA, CAPES, entre outros.